O Ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, vai estar no auditório do Centro Autárquico de Quarteira, no dia 21 de agosto, pelas 11h30, para apresentar o plano de implementação de um Laboratório Vivo para a Descarbonização nesta cidade. Recorde-se que a candidatura do Município de Loulé ao Fundo Ambiental foi uma das 12 aprovadas pelo Governo português para receber este projeto de grande alcance para a promoção da defesa ambiental.
Com este Laboratório pretende-se fomentar a descarbonização das cidades através de soluções tecnológicas que aumentem a eficácia e reduzam o consumo de energia, contribuindo para criar cidades inovadoras, sustentáveis e inclusivas, que melhorem a qualidade de vida dos cidadãos.


O projeto «Turismo em Zonas de Baixa Densidade (Baixo Guadiana)», já se encontra na sua reta final e os resultados começam a ser visíveis, estando já disponível para download o «Guia de Apoio ao Empresário». Lançado na Primavera de 2016, a meta é conhecer o posicionamento da oferta nos mercados internacionais e concertá-la com o setor empresarial da região, focand-se num turismo sustentável e que pretende combater a sazonalidade através de uma grande oferta: o Turismo de Natureza.
O «Guia de Apoio ao Empresário» é uma ferramenta de trabalho para todos os agentes económicos que, no território de Baixa Densidade do Baixo Guadiana, exercem a sua atividade no setor do turismo. Aponta direções e tenta agilizar informações, processos e metodologias aos empresários e potenciais empresários e/ou investidores do e no Baixo Guadiana. O documento compila informações úteis em contexto de promoção externa; informações sobre as tendências atuais no turismo e mercados internacionais; propostas de atuação e organização do tecido económico; redes, parcerias e a oportunidades de apoio e incentivo.
O documento encontra-se disponível  para download em: https://mega.nz/#!9WJhnTzS!QHFL3VamUCAU6k9fW3hnqKvR-W3dziA7z4s-KH9arRc. “O objetivo deste documento é valorizar a identidade e recursos distintivos do Baixo Guadiana e, em conjunto, desenvolver abordagens aos mercados de forma mais atrativa e assertiva, afirmando-nos como destino turístico autêntico e de qualidade ímpar”, atesta o Diretor da Odiana, Valter Matias. A recordar que, neste âmbito, o projeto lançou até à data um total de sete sessões, desde temáticas sobre linhas de apoio, matchmaking, boas práticas, capacitação para a internacionalização (entre outras), tendo como eixo basilar o combate à sazonalidade e as assimetrias entre o litoral e as baixas densidades. Em fase de conclusão será produzido também um vídeo promocional, dirigido aos mercados internacionais, que convida o visitante a conhecer o que de mais genuíno existe no Baixo Guadiana.

A Câmara Municipal de Loulé felicitou publicamente o Louletano Desportos Clube e o seu atleta Vicente de Mateos pela prestação na 79.ª Volta a Portugal em Bicicleta, a maior prova velocipédica do país. Na classificação geral, o ciclista espanhol ao serviço da equipa algarvia conquistou o primeiro lugar por pontos, envergando, assim a Camisola Verde. Vicento de Mateos subiu ao pódio na classificação geral individual, alcançando o terceiro lugar, logo atrás de Raul Alarcon Garcia e de Amaro Antunes, ambos do W52/FC Porto.
Por equipas, o Louletano-Hospital de Loulé conseguiu um honroso sexto lugar. Para os responsáveis autárquicos, esta prestação na Volta a Portugal constitui um orgulho imenso para o Município de Loulé, não só porque vem premiar o trabalho do Louletano e de todos os seus atletas, mas também pelo contributo para a projeção do nome do Concelho de Loulé. Por outro lado, sendo o ciclismo uma modalidade com grande tradição e fortemente enraizada no Concelho, bastante acarinhada por todos os louletanos, estes resultados têm ainda maior impacto junto da comunidade e dos responsáveis por este Município.

Vai decorrer, de 21 a 26 de agosto, a 7.ª edição do FARCUME – Festival Internacional de Curtas-Metragens de Faro, tendo como palco a Sociedade Recreativa Artística Farense «Os Artistas», situado na Rua do Montepio, n.º 10. As sessões terão início todos os dias às 21h30 e este ano, fruto dos apoios conseguidos, serão de entrada livre.
O festival é da responsabilidade da FARO 1540 – Associação de Defesa e Promoção do Património Ambiental e Cultural de Faro e regressa ao local que o viu nascer e que tem sido seu parceiro desde a primeira hora. Para além disso, o certame passa dos habituais quatro dias, para seis dias de cinema de curta-metragem. Ao todo, foram recebidos cerca de 1500 curtas-metragens, oriundas dos quatro cantos do mundo, tendo a organização selecionado para exibição perto de duas centenas de trabalhos, o que representa quase 30 horas de cinema repartidas por quatro categorias: Animação, Documentário, Ficção e Videoclips.
À semelhança do que sucedeu em 2016, houve um número significativo de curtas-metragens portuguesas a concorrer e a serem selecionadas para exibição. Para além de Portugal, que volta a ser o país mais representado, estão selecionados filmes de 40 países, entre eles Espanha, Alemanha, França Itália, EUA, Canada, Argentina, Peru, Bolívia, Brasil, Irão, Iraque, India, China, Israel, Austrália e Azerbeijão. O objetivo do FARCUME passa por procurar, dentro de um ambiente informal, bem-disposto e descontraído, premiar e reconhecer a dedicação, o empenho, a criatividade e o mérito dos realizadores, atores e equipas técnicas que, sem terem os orçamentos da indústria cinematográfica de Hollywood, executam excelentes trabalhos mas que nem sempre têm a divulgação desejada e merecida.

O Centro Cultural de Lagos apresenta, pela primeira vez em Portugal, o documentário «Gurumbé, Canciones de Tu Memória Negra», pelas 21h30 do dia 23 de agosto, por ocasião do Dia Internacional da Memória do Tráfico Negreiro e da sua Abolição. Da autoria do realizador e antropólogo andaluz Miguel Angel Rosales, e falado em espanhol, o documentário será projetado com legendas em inglês.
A obra pretende resgatar do esquecimento o contributo das populações negras para a história e cultura da Andaluzia, especialmente entre os séculos XVI-XVIII. A propósito, destaca-se que, no século XVI, a população negra representava 10 por cento da população de cidades portuárias como Sevilha ou Lisboa. Se assumimos, sem entraves, a herança cultural islâmica, a investigação demonstra agora o contributo das populações negras para a riqueza cultural que caracteriza os povos ibéricos, justificando-se inteiramente esse reconhecimento.
O ponto de partida deste documentário andaluz é o porto de Lagos e a descoberta de 158 esqueletos na lixeira urbana medieval e moderna, descoberta que veio corroborar o papel ativo de Portugal e de Lagos no tráfico negreiro. Na apresentação estará presente o realizador Miguel Angel Rosales, num espaço de debate que pretende essencialmente promover os comentários do público e recolher as suas impressões. Encerra-se a jornada com o quadro flamenco da «bailaora» londrina Yinka Esi Graves, com raízes no Gana e na Jamaica, para quem, nas suas próprias palavras, o documentário permitiu reconciliar a sua cabeça com o seu coração e que, com os seus bailes, contribui para resgatar a herança da dança africana no baile flamenco.

O largo da Fundação Manuel Viegas Guerreiro, em Querença, vai ser palco de um concerto da Orquestra Clássica do Sul, no dia 18 de agosto, pelas 22h, durante o qual será homenageado Luís Guerreiro, presidente desta Fundação, falecido esta semana. «Portugal, a Terra e o Mar» é o mote para este espetáculo conduzido pelo Maestro Titular Rui Pinheiro.
Neste momento musical serão apresentadas obras de Cherubini (Hospedaria Portuguesa), Honegger (Pastoral de Verão), Mendelssohn (As Grutas de Fingal), Tomás de Lima (3 cenas Algarvias) e Freitas Branco (Fandango). A Orquestra pretende, desta forma, evocar a memória, através da música erudita, de um dos nomes que mais se destacaram na investigação histórica e cultural da região nos últimos anos, prestando-lhe a devida homenagem na terra que o viu nascer. O concerto é aberto ao público e tem entrada livre.

Esta quarta-feira, a partir das 22h, a Praça Marquês de Pombal, em Vila Real de Santo António, recebe uma homenagem aos atletas algarvios que brilharam na 79.ª Volta à Portugal em Bicicleta: Amaro Antunes, Samuel Caldeira (naturais de Vila Real de Santo António) e Ricardo Mestre (todos da equipa W52-FC Porto).
A W52-FC Porto foi a vencedora da edição de 2017 da prova rainha do ciclismo em Portugal, tendo o atleta vila-realense Amaro Antunes garantido igualmente o primeiro lugar na geral da montanha (camisola azul) e o segundo lugar na classificação geral da volta. Amaro Antunes é também o líder do novo projeto de ciclismo de estrada algarvio – o «Clube de Ciclismo Amaro Antunes» -, equipa que está sediada em Vila Real de Santo António e pretende reativar a modalidade no concelho e dar resposta ao crescente número de praticantes.
O município de Vila Real de Santo António é atualmente um dos patrocinadores e impulsionadores desta equipa local, que surge também com o objetivo de apostar na formação das camadas jovens, sendo prioridade a constituição de uma escola.


Ao último dia do 32.º Festival do Marisco de Olhão, o Jardim Pescador Olhanense foi pequeno para acolher a verdadeira multidão que ali acorreu para saborear os melhores marisco s e bivalves e assistir ao concerto de Seu Jorge. A edição deste ano ultrapassou a meta das 50 mil visitas, proposta pela organização. “Estamos muito satisfeitos com a forma como decorreu esta edição do Festival do Marisco. É com imenso prazer que, ano após ano, recebemos de braços abertos as dezenas de milhares de pessoas que nos visitam. Vamos agora recuperar energias e, brevemente, começar já a trabalhar na edição de 2018”, anunciou o presidente da Autarquia, António Miguel Pina, na derradeira noite do Festival.


O certame, uma iniciativa do Município de Olhão, organizada pela empresa municipal Fesnima, afirma-se após ano como o maior evento gastronómico a sul de Portugal: nesta edição, foram consumidas mais de 10 toneladas de mariscos e bivalves. Camarão, sapateira, amêijoas e ostras foram os mais procurados, cozinhados ao natural, ou em paella, arroz e açorda, como só os olhanenses sabem. No que diz respeito ao cartaz musical, a organização considera que as escolhas para este ano foram “apostas ganhas”, tendo em conta as enchentes verificadas ao longo dos seis dias do evento. Passaram pelo palco do Festival do Marisco Tony Carreira, Richie Campbell, D.A.M.A, Diogo Piçarra, Nelson Freitas e Seu Jorge. “A programação deste ano procurou ser o mais eclética possível, como, de resto, tentamos que seja todos os anos, de forma a agradar e atrair um número diversificado de públicos. Este ano, esse objetivo foi particularmente bem conseguido, e prova disso foram as enchentes verificadas do primeiro ao último dia”, sublinha o presidente da Câmara Municipal, António Miguel Pina.


O Festival do Marisco de Olhão contou este ano com as visitas do Primeiro-Ministro, António Costa, do Ministro das Finanças, Mário Centeno, e do Ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva. Outro dos pontos altos foi a passagem pelo certame do elenco da nova novela da SIC, Paixão, que vai para o ar já em setembro, e é rodada em vários pontos do Algarve, entre os quais Olhão. Projetar a Ria Formosa, a cidade e o concelho de Olhão e promover a sua economia e turismo são os objetivos sempre renovados da iniciativa da Câmara Municipal, organizada pela Fesnima.



No próximo dia 25 de agosto, pelas 20h30, a Let’s Go Run e as Corridas à 6.ª Feira vão organizar a 4.ª edição da Corrida Branca, este ano em véspera da famosa Noite Branca de Loulé. O evento tem como parceiros o Aquashow e o Pestana Vila Sol e conta com o apoio da Câmara Municipal de Loulé e da Junta de Freguesia de Quarteira.
Aproveitando a presença no Algarve de milhares de turistas e o excelente tempo que ainda se faz sentir, com noites quentes e muito agradáveis, a Let’s Go Run e as Corridas à 6ª Feira idealizaram uma corrida / caminhada que juntasse o desporto e atividade física ao convívio e lazer, tirando o melhor partido das infraestruturas existentes na região. Feito o convite ao parque de diversões Aquashow e empreendimento de golfe Pestana Vila Sol, foi possível desenhar um interessante traçado com duas distâncias alternativas de oito e 12 quilómetros, que une os dois empreendimentos, sendo desta forma possível iniciar e terminar a corrida / caminhada numa piscina de ondas e pelo meio atravessar os muito exclusivos e muito reservados campos de golfe.
Estes eventos são inteiramente gratuitos para os participantes e dispensam qualquer formalidade de inscrição. A única obrigação é terem uma t-shirt branca e fazerem-se acompanhar de uma luz, pois o percurso tem partes bastante escuras. É aberto a todas as idades, pois o grau de dificuldade é fácil. A participação a portadores de mobilidade reduzida é condicionada num ponto do percurso, sendo necessária a ajuda de duas pessoas. Está vedada a participação a animais de estimação dentro do parque do Aquashow. A abertura das portas ocorrerá pelas 20h e o aquecimento e partida para ambos os percursos faz-se pelas 20h30, com final previsto para as 23h. 

No âmbito das medidas sociais promovidas pela Câmara Municipal de Loulé de apoio ao associativismo e às atividades desenvolvidas pelas instituições particulares de solidariedade social, a Autarquia atribuiu um montante de 727 mil e 531,53 euros, através da celebração de contratos-programa com 23 instituições. À semelhança do que aconteceu com as associações desportivas e culturais, com este pacote de apoios a Autarquia pretende apoiar a atividade social, manutenção e conservação do edificado, materiais e equipamentos genéricos, equipamento informático e aquisição de viaturas, contribuindo, assim, para o importante trabalho levado a cabo por estas entidades junto da população.
Celebraram estes contratos-programa a ASCA, ASMAL, Associação Bem-Estar Amigos de Querença, Associação Esperança e Paz, Associação Humanitária Alzheimer/Parkinson, Associação Social de Benafim, Associação Social e Cultural da Tôr, Casa da Primeira Infância, Casa do Povo do Ameixial, Centro Comunitário Vale Silves, Centro de Animação da Freguesia de Alte, Centro de Apoio à Criança de Quarteira, Centro Paroquial de Quarteira, EXISTIR, Fundação António Aleixo, Grupo Amigos de Salir, IPSS Serra do Caldeirão, Liga dos Combatentes/Núcleo de Loulé, MAPS, NT Social, Santa Casa da Misericórdia de Boliqueime, Santa Casa da Misericórdia de Loulé e UNIR. Os apoios foram precedidos de candidaturas efetuadas pelas instituições, tendo sido apresentadas 65 candidaturas de 23 IPSS.

O município de São Brás de Alportel deu início à primeira fase de alargamento e abertura de caminho entre a Chibeira e a Gralheira. A intervenção vai facilitar a circulação de meios de vigilância e combate a incêndios, assim como o acesso dos proprietários aos seus terrenos. Um investimento é de quatro mil euros, devendo os trabalhos estarem concluídos no final de agosto.
Esta é uma ligação que, além de possibilitar a gestão florestal mais eficaz, permite um acesso mais rápido entre estes dois sítios do Concelho, bem como a realização futura de diversas infraestruturas, como é o caso do saneamento e do reforço da rede de águas. Também em curso está o projeto de ampliação da rede de esgotos desde o Lagar de Azeite existente em Chibeira até à zona poente da Gralheira, cuja execução vai constar no próximo plano de investimentos na rede de saneamento. A beneficiação deste caminho entre a Chibeira e a Gralheira contribui ainda para a valorização da área envolvente e garante a melhoria de acessibilidades a pessoas e veículos.



No âmbito das celebrações do Dia Internacional da Juventude, assinalado a 12 de agosto, o Município de Albufeira recebeu cerca de meia centena de jovens albufeirenses no Salão Nobre dos Paços do Concelho, que se destacaram em diversas áreas, desde o desporto à cidadania, passando pela cultura e pelo mundo académico, e também pelo trabalho voluntário que desenvolvem em diversas associações do concelho. Carlos Silva e Sousa fez questão de homenagear “os futuros homens e mulheres do nosso país, da nossa cidade, que certamente irão alcançar feitos dignos de louvor”.
Com idades compreendidas entre os 12 e os 20 anos, os jovens foram presenteados com um troféu comemorativo do Dia Internacional da Juventude e um livro do Foral de Albufeira, entre outras lembranças. “É uma alegria ter o Salão Nobre recheado de juventude”, afirmou o presidente da Câmara Municipal de Albufeira, enfatizando o facto de este ser um dos concelhos mais jovens do país. “O melhor investimento que uma sociedade desenvolvida pode fazer é na formação dos seus jovens”, frisou o autarca. Já o presidente da Assembleia Municipal, Paulo Freitas, aconselhou os jovens a terem como princípio o seu bem-estar e a desfrutarem da vida. “São tempos diferentes, vocês têm visões diferentes da vida, vão ter um caminho profissional, pessoal, estudantil, que esperemos que seja sempre de sucesso”, reforçou.
No seguimento da visita aos Paços do Concelho, o grupo participou num almoço com o presidente e elementos da vereação, num ambiente descontraído e informal. Para encerrar o programa do Dia Internacional da Juventude, os jovens foram brindados com o habitual passeio de barco pela costa algarvia, onde se juntaram a outros que frequentam atividades de Verão do GAJ – Gabinete da Juventude.

No dia 18 de agosto, sexta-feira, pelas 22h, o Jardim das Comunidades, em Almancil, recebe um concerto com Richie Campbell, o maior cantor de reggae português da atualidade.  Apesar de muito jovem, Richie apresenta já um longo e invejável currículo, onde se contam colaborações com Kymani Marley e a abertura do concerto de Nas & Damien Marley no Pavilhão Atlântico.
«That’s how we rol», «Best Friend», «I feel amazing» ou «Do you no wrong» são alguns dos temas que o artista traz a Almancil nesta noite de Verão. A entrada é livre.
Vai ser apresentada, no dia 24 de agosto, pelas 19h30, no Espaço Lounge da FATACIL, a Rainha das Vindimas de Lagoa 2017, Inês Carvalho, à semelhança do que aconteceu, em 2016, com Ana Rita Faustino, que representou Lagoa no Concurso Nacional que decorreu no Centro de Congressos do Arade, no ano em que Lagoa foi a «Cidade do Vinho» e anfitriã do evento. A «Rainha das Vindimas» é promovida pelo Município de Lagoa pelo quarto ano consecutivo, na sua qualidade de membro da Associação dos Municípios Portugueses do Vinho, com o objetivo de valorizar e divulgar os usos e costumes do Concelho relacionados com a cultura da vinha e a produção do vinho, desde sempre ligados à história de Lagoa.
A «Rainha das Vindimas 2017» é Inês Carvalho, natural de Lagoa, unanimemente eleita pelo júri e será a representante de Lagoa na Gala Nacional que terá lugar, em Águeda, a 9 de setembro. Daniela Lopes, também natural de Lagoa, foi eleita 1.ª Dama de Honor. O Concurso Nacional é promovido, desde 2009, pela Associação de Municípios Portugueses do Vinho em parceria com a Cidade do Vinho de cada ano e tem vindo a conquistar uma visibilidade cada vez maior e uma mais expressiva participação dos Municípios. Esta 9.ª edição vai reunir o maior número de candidatas de sempre, 20.

O presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve (CCDR Algarve), Francisco Serra,  revelou, no dia 14 de agosto, no auditório da Visualforma, em Faro, que o Algarve tem das taxas de compromisso mais elevadas dos Programas Operacionais Regionais do atual quadro comunitário do PORTUGAL 2020. “A taxa de compromisso do Programa Operacional Regional do Algarve – CRESC ALGARVE 2020  neste momento é na ordem de 40 por cento e, para o  final deste ano, esperamos alcançar um valor próximo dos 60 por cento”,  referiu Francisco Serra, durante o briefing realizado na Delegação Regional na Ordem dos Economistas, uma iniciativa onde participou conjuntamente com o Ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral. 
O presidente da CCDR Algarve adiantou que o mérito desses resultados do Portugal 2020 se deve às empresas e às autarquias “que perceberam a necessidade de apresentar projetos inovadores e alinhados pela estratégia de especialização inteligente”, dando como exemplo o caso da Infralobo – Smart Resort. Recorde-se que o CRESC ALGARVE 2020 dispõe de 319 milhões de euros de fundos da UE (FEDER E FSE), sendo 140 milhões destinados às empresas.
Na sua intervenção «Evolução da Economia Portuguesa no 1.º semestre de 2017», o Ministro da Economia destacou que mais de 2/3 do crescimento do Turismo em 2017 foi na época baixa.

No dia 17 de agosto, o Município de Lagos e a UNIARQ (Centro de Arqueologia da Universidade de Lisboa) promovem as VII Jornadas de Portas Abertas na estação arqueológica do Monte Molião, dando a, de perto, este ex-libris da cidade recheado de história.
O Monte Molião é uma pequena colina ovalada, localizada na margem esquerda da foz da ribeira de Bensafrim (Rio de Lagos). A investigação que, desde 2007, a UNIARQ tem vindo a efetuar sobre o sítio, com o apoio financeiro da Câmara Municipal de Lagos, permitiu recolher importantes dados e aproxima-nos deste habitat ocupado desde o século IV A.C. até ao século II D.C. e cujos vestígios confirmam a integração do Monte Molião nas grandes rotas comerciais da antiguidade e a interação dos seus habitantes com outras comunidades humanas mediterrâneas.
Para o final da tarde do dia 17, e também no local, está prevista uma mesa-redonda para debater «Que fazer com este sítio? (um futuro para o Monte Molião)», que tem como objetivo suscitar a discussão acerca do retorno social da investigação neste local e da sua conservação e valorização para a atratividade de Lagos como turístico e cidade inteligente. As iniciativas são de carácter gratuito e não são necessárias inscrições.

O Grupo de Folclore da Casa do Povo de Santa Cruz, da ilha da Madeira, está em São Brás de Alportel até dia 18 de agosto no âmbito de um intercâmbio cultural com o Rancho Típico Sambrasense. Durante a sua estadia, os 37 elementos do Grupo de Folclore terão oportunidade para dar a conhecer as tradições do arquipélago madeirense, em quatro atuações que integram a agenda bem preenchida da semana. Assim, depois da atuação na XXV Concentração Motard de São Brás de Alportel, o grupo subiu ao palco no dia 14 de agosto, do evento «Calçadas – A Arte sai à rua» e, no dia 15, atua no Lar de Idosos da Santa Casa da Misericórdia de São Brás de Alportel, proporcionando aos utentes um momento especial.
O grupo, dirigido por Gonçalo Quintal, foi recebido, no dia 11 de agosto, pelo executivo municipal no Salão Nobre da Câmara Municipal, na presença do Presidente da Câmara Municipal Vítor Guerreiro e da Vice-Presidente Marlene Guerreiro e, seguidamente, pelo Presidente da Junta de Freguesia, David Gonçalves, na sede daquela autarquia. O presidente da Casa do Povo de Santa Cruz, Paulo Renato Spínola, e o presidente da Junta de Freguesia de Santa Cruz, Paulo Alves, acompanham o grupo nesta visita a São Brás de Alportel, que proporcionará uma enriquecedora troca de experiências e saberes.
O Rancho Típico Sambrasense também esteve na Madeira a convite do Grupo de Folclore da Casa do Povo de Santa Cruz, entre 10 e 17 de julho deste ano. O Município de São Brás acolhe o Grupo de Folclore da Casa do Povo de Santa Cruz com o apoio da Santa Casa da Misericórdia de São Brás de Alportel e da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários.



Encontra-se a decorrer, na Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe, em Vila do Bispo, a VI Edição do ciclo de música antiga «Sons Antigos a Sul». O projeto anual da Academia de Música de Lagos para promoção e divulgação da Música Antiga no Algarve estende-se, em 2017, ainda para a Igreja Matriz de Monchique, consagrada a Nossa Senhora da Assunção.
Integrada neste ciclo, a Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe recebe a estreia em Portugal do Ensemble «Le Voci delle Grazie» (Holanda/Portugal), no dia 18 de agosto, pelas 17h. O jovem ensemble de música de câmara conjuga a soprano Bethany Shepherd e a mezzosoprano Laura Lopes com o baixo contínuo do cravista Mariano Boglioli, a viola da gamba de Garance Boizot, a harpa de Kit Spencer e a teorba e alaúde de Talitha Witmer. Dirigido por Laura Lopes, o programa «Dialogo delle due Marie» tem como tema a morte de Jesus aos olhos das duas figuras femininas fulcrais na sua vida: a Virgem Maria e Maria Madalena.
A dor conjunta destas duas Marias é consagrada no dueto de Legrenzi Dialogo delle due Marie, inspiração para este programa de concerto: após a crucificação de Jesus, as duas Marias refletem sobre o sofrimento de uma vida sem Ele, e rezam pela salvação. Para complementar os lamentos e diálogos, neste concerto escolhemos hinos marianos e obras instrumentais que espelham as possibilidades tímbricas que podem colorir o som do ensemble «Le Voci delle Grazie».
A iniciativa conta com o apoio da «Quinta do Barranco Longo» e integra o DiVaM, o programa de dinamização e valorização dos monumentos promovido anualmente pela Direção Regional de Cultura do Algarve. Este festival de música tem o Rótulo de qualidade EFFE – Europe for Festivals, Festivals for Europe, da European Festivals Association, apoiado pela União Europeia.
Um grupo de 27 jovens oriundos de Portugal, Hungria e Alemanha estão em São Brás de Alportel a participar num projeto de formação em dança, que tem por objetivo promover a inclusão e que culminará, a 19 de agosto, com o espetáculo «The Selfish Giant». A Associação Jovens e Natureza e a equipa IN DANCE de São Brás de Alportel são responsáveis por concretizar o projeto IN DANCE, apoiado financeiramente pelo fundo europeu ERASMUS, que está a acolher jovens húngaros, da Associação Never Give Up de Budapeste e alemães do Centro Francês de Berlim.
Os jovens participantes são oriundos de meios sociais desfavorecidos ou são portadores de deficiência e necessidades especiais. A seleção teve justamente em conta as suas habilidades específicas, de modo a proporcionar-lhes a oportunidade de desenvolver as suas competências, nas áreas do teatro, do canto e da dança. Será uma experiência única que marcará para sempre as suas vidas pois, a par da vertente artística, o grupo tem ao seu dispor um programa de atividades que inclui visitas aos diferentes locais de interesse de São Brás de Alportel, idas à praia e ao teatro, provas nos restaurantes locais.
A apresentação do espetáculo «The Selfish Giant» marca o fim desta experiência, agendado para as 20h do dia 19 de agosto, no Cineteatro São Brás. A entrada é livre para os menores de 10 anos e os ingressos estão à venda por cinco euros para o restante público, na Associação JNC (Praceta da Misericórdia, junto à Oficina dos Sons) e no Cineteatro São Brás. A Câmara Municipal de São Brás de Alportel apoia logisticamente o projeto, disponibilizando espaço, transporte e refeições. Destaque igualmente para a parceria da Santa Casa da Misericórdia e do Agrupamento de Escolas José Belchior Viegas, que proporcionam o alojamento para os jovens.





Conhecidos pelo rigor da recriação histórica, os Dias Medievais vestem Castro Marim com a luz encantada das tochas e espalham pela vila o ritmo da música profana, de 23 a 27 de agosto, na 20.ª edição do evento. São cinco dias de regresso à Idade Média, que prometem transportar os visitantes a toda a multiplicidade e contradições de uma época, simultaneamente bárbara e culta, palco de acontecimentos e decisões que ficaram na história e de magníficas produções culturais e artísticas.
Com um recinto alargado durante as últimas duas edições, os Dias Medievais em Castro Marim apostam este ano em algumas novidades na área da animação, com destaque para o espetáculo de videomapping, que vai transformar uma das fachadas do Castelo numa tela gigante onde, numa viagem de luz, design e som, se revelará a história que transformou esta vila raiana. Intitulado «A Luz das Trevas, D. Dinis e o Dragão de Sal», o espetáculo acontece pelas 23h dos dias 25, 26 e 27 de agosto. Esta iniciativa é apoiada pelo PO CRESC ALGARVE 2020, com uma taxa média de cofinanciamento de 70 por cento pelo FEDER.


O palco principal é, sem dúvida, o Castelo, o cenário mais leal à Idade Média, onde acontecem as principais recriações, como as de artes e ofícios, onde estão representadas mais de 45 profissões, e os grandes espetáculos, como os torneios medievais a cavalo. É também o Castelo, no paiol, que acolhe a renovada exposição de Instrumentos de Tortura e Punição, mostrando-nos uma das razões pela qual a Idade Média é considerada como a Idade das Trevas. Outra dos grandes destaques desta XX edição é a experiência «Seja Rei por um dia», uma inovação do Banquete Medieval, um dos cunhos dos Dias Medievais em Castro Marim, dando a provar aos convivas as melhores iguarias da época, num espaço exclusivo, no chamado Castelo Velho, e por onde passam todos os grupos de animação do evento. A experiência permite desfrutar do Banquete na Mesa Real, com toda a grandiosidade e diferenciação que isso comportava. 


Pelas ruas e ruelas de Castro Marim pode-se encontrar a recriação da vida quotidiana do homem da Idade Média, com a representação de todas as classes que estruturavam a sociedade na época – clero, nobreza, burguesia e povo. Guerreiros, grupos de música e de dança, cavaleiros, malabaristas, zaragateiros, cuspidores de fogo, contadores de histórias, gaiteiros, equilibristas, espadachins e contorcionistas, entre muitos outros, colorem o resto do cenário medieval. Nas mesmas ruas e ruelas encontra-se todo o imaginário de uma época que carregava criaturas mitológicas, monstros, criaturas demoníacas e mágicas, que explicavam tudo o que era ainda vago e impreciso.
Os Dias Medievais em Castro Marim abrem primeiro o Mercado Medieval, pelas 15h, ao passo que o Castelo abre portas pelas 18h. Os bilhetes estão à venda na bilheteira online BOL, no Gabinete de Apoio ao Munícipe (GAM), no Mercado Local de Castro Marim, na Casa do Sal, nos Quiosques do Património colocados nas praias do concelho - Alagoa/Altura, Praia Verde e Cabeço, no Centro Comercial Tavira Gran Plaza, no Fórum Algarve. Podem também ser adquiridos no próprio dia, nas várias bilheteiras dispersas pela vila. Os residentes do concelho de Castro Marim terão acesso gratuito a todo o evento, tendo apenas que levantar as suas pulseiras no Gabinete de Apoio ao Munícipe, Juntas de Freguesia e através do serviço Castro Marim Consigo. Gratuita será também a entrada para crianças, no Castelo, até aos cinco anos e na Feira Medieval até aos 12 anos, e para todos os figurantes devidamente trajados.



A atleta do Clube Oriental de Pechão, Ana Cabecinha, classificou-se em sexto lugar na prova de 20 quilómetros marcha dos Mundiais de Atletismo, disputada no dia 13 de agosto, em Londres. A marchadora terminou a prova em 1:28.57 horas.
Esta classificação representou também para Ana Cabecinha a oportunidade de melhorar a sua melhor marca da época, que havia sido obtida em maio, na Taça da Europa (1:29.44 horas). “Depois do sexto lugar nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016, e da medalha de prata na Taça da Europa, em maio passado, a Ana continua a dar mostras de uma consistência admirável, que só os grandes atletas possuem. Parabéns a ela, que é um exemplo para toda a nossa juventude, e ao seu treinador Paulo Murta”, referiu o presidente da Câmara Municipal, António Miguel Pina.
Recordando os apoios prestados pela autarquia aos clubes e atletas do concelho, o edil acrescenta que “as verbas com que temos apoiado o Clube Oriental de Pechão e a Ana Cabecinha são exemplos de bons investimentos na área desportiva, não só pelos resultados que ela obtém, como pelo efeito multiplicador que esses resultados têm, enquanto inspiração para que outros se dediquem ao desporto”. No último ano, o Município de Olhão apoiou o Clube Oriental de Pechão com um subsídio de 27 mil e 100 euros, para além do contrato de patrocínio desportivo que mantém com Ana Cabecinha até aos Jogos Olímpicos de Tóquio de 2020, no valor de 7.500 euros anuais. Também a empreitada da primeira fase da remodelação do Parque Desportivo de Pechão e das respetivas pistas de atletismo vai ser lançada brevemente.



Luís Manuel Mendes Guerreiro nasceu a 4 de setembro de 1960, em Querença. Licenciado em Engenharia Civil pelo Instituto Superior Técnico, na década de 80 ingressou no sector de Saneamento Básico da Câmara Municipal de Loulé, mas cedo os seus interesses e a sua atividade no Município direcionaram-se para as áreas ligadas à Cultura, Turismo ou Comunicação. Foi responsável pelo Gabinete de Turismo e Desenvolvimento Rural, entre e janeiro de 1990 e março de 1991, altura em que foi nomeado Adjunto do então Presidente da Câmara Municipal de Loulé, Joaquim Vairinhos. No exercício destas funções, coordenou, por delegação do Presidente, uma vasta atividade no domínio da Cultura, nomeadamente a política editorial do Município, coordenação da Agenda Cultural, realização de exposições, apoio às associações concelhias, geminações e outras iniciativas culturais.
Enquanto dirigente desta Autarquia, foi ainda Chefe do Gabinete de Apoio ao Presidente (1997/99), Coordenador do Gabinete de Imprensa (1994 a 2002), Chefe de Divisão de Turismo, Desenvolvimento e Animação (1999/2004), Chefe de Divisão de Cultura (2004/2013) e Coordenador do Gabinete de Eventos, Comunicação e Imagem (2013 até ao presente). Desempenhou igualmente diversas atividades em associações socioculturais, integrou a Comissão Instaladora da Fundação António Aleixo, foi Cooperador e Presidente da Assembleia Geral da CEUPA – Cooperativa de Ensino Universitário do Algarve, membro da direção do Círculo Teixeira Gomes e Coordenador Técnico da Candidatura de Sagres a Património da Humanidade. Foi igualmente diretor, responsável editorial e colaborador assíduo do Jornal «A Voz de Loulé». Foi, até ao presente, Presidente da Fundação Manuel Viegas Guerreiro, em Querença.
Investigador da História regional e local, participou em diversos encontros e congressos e publicou inúmeros trabalhos, com destaque para «Bibliografia do Concelho de Loulé» (em coautoria com João Sabóia), «Loulé no ano da Revolução» (XX Aniversário do 25 de Abril) ou «Duarte Pacheco – O Edificador». Possuía um dos maiores acervos documentais privados sobre o Algarve. Luís Guerreiro faleceu, no dia 14 de agosto, após doença prolongada, numa grande perda para a Cultura algarvia pelo importante trabalho de investigação que desenvolveu, ao longo de anos, e que contribui para um melhor conhecimento da sua História.

O Algarve aproximou-se pela primeira vez dos oito milhões de dormidas no primeiro semestre do ano, de acordo com dados do Instituto Nacional de Estatística (INE). Entre janeiro e junho de 2017, os estabelecimentos hoteleiros da região registaram um total de 7,96 milhões de dormidas, cerca de 600 mil pernoitas a mais do que em igual período do ano anterior (+8,1%).
Para esta performance semestral do destino contribuíram tanto as dormidas de turistas estrangeiros (+9,4%, para 6,65 milhões de dormidas), quanto as dos residentes em Portugal (+1,9%, para 1,31 milhões de dormidas). “No primeiro semestre do ano, todas as regiões apresentaram evoluções positivas [no número de dormidas]. O Algarve captou 41 por cento das dormidas de hóspedes vindos do estrangeiro”, pode ler-se no «Destaque Atividade Turística» de junho do INE.
No Algarve, a variação sinalizada pelos restantes indicadores no conjunto dos primeiros seis meses do ano é francamente positiva: os hóspedes estão em alta (+3,9%, para cerca de 1,8 milhões de hóspedes) e os proveitos totais registam uma alta acentuada (+17,5%, para mais de 360 milhões de euros). “A hotelaria algarvia está de parabéns, assim como todo o setor turístico regional, que ano após ano tem vindo a alcançar máximos históricos. Os principais indicadores estão a crescer de forma alinhada com o que acontece no país, e no final do ano aspiramos uma vez mais vir a celebrar o melhor ano turístico de sempre para o Algarve e para o turismo português”, afirmou o presidente da Região de Turismo do Algarve, Desidério Silva.

No âmbito da candidatura apresentada pela Associação de Municípios Terras do Infante, o Município de Aljezur passou a dispor de mais uma brigada de Sapadores Florestais. A reivindicação tinha mais de dois anos e ganhou agora forma com uma nova viatura, que foi oficialmente entregue, no dia 11 de agosto, pelo Secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural, Miguel Freitas.  
Na cerimónia estiveram o Presidente da Câmara Municipal de Aljezur, José Amarelinho, a Presidente da Câmara Municipal de Lagos e da Associação Terras do Infante, Joaquina Matos, o presidente do ICNF, autarcas e demais entidades ligados à Proteção Civil. Na ocasião, o Secretário de Estado tomou boa nota de vários constrangimentos sentidos nesta área, bem como do trabalho desenvolvido pela Terras do Infante na defesa da floresta contra os incêndios.
No dia 25 de agosto, atua, pelas 22h, na Praça da República, em Tavira, Tiago Bettencourt, cantor e autor de várias composições de referência da nova música portuguesa. Foi há mais de dez anos que o artista embarcou naquela que seria a sua primeira aventura em estúdio, com Toranja, marcando para sempre o panorama musical português.
A riqueza da simplicidade dos seus poemas e melodias depressa captou a atenção do público e se «Esquissos» foi um sucesso de vendas, o álbum «Segundo» também não ficou aquém. Temas inesquecíveis como «Carta» e «Laços» são indissociáveis das suas melodias e da sua voz marcante. Já em 2006, os Toranja anunciam uma pausa prolongada. É então que Tiago Bettencourt parte para o Canadá, e tendo como banda de apoio os Mantha, grava o álbum «Jardim», editado em 2007 com o grande êxito «Canção Simples».
Em 2010, é editado «Em fuga» com o single «Só mais uma volta». No final do ano de 2011 é lançado «Tiago na Toca e os Poetas», um álbum que surge acompanhado de um livro, em que o músico canta poemas de autores portugueses como Florbela Espanca e José Carlos Ary dos Santos, na companhia de amigos, entre eles, Carminho, Camané, Fernando Tordo, entre outros. Em novembro de 2012 chega às lojas «Acústico», que vem assinalar um percurso de uma década de muitas experiências e sucesso, que não só revelou uma das maiores vozes nacionais como trouxe um dos grandes autores da sua geração.
Em 2014, Tiago Bettencourt apresenta o disco «Do Princípio», contando com três colaborações de luxo (Jacques Morelenbaum, Mário Laginha e Fred Pinto Ferreira) além dos seus músicos habituais. Neste disco Tiago renova-se, apresentando, entre outros, os surpreendentes «Aquilo que eu não fiz», «Morena» e «Maria», que podem ser ouvidos nas principais rádios nacionais. Em setembro prepara-se para lançar um novo álbum, «A Procura».

No dia 23 de agosto assinalam-se a criação do Museu Municipal de Lagos e o Dia Internacional da Lembrança do Tráfico de Escravos e da sua Abolição. Visitas orientadas, dia aberto nos espaços museológicos, concerto, exposição e um documentário são as várias iniciativas, de entrada gratuita, que fazem parte de um programa que a autarquia preparou para não deixar passar em branco estas duas datas.
Para além de visitas orientadas ao Museu e Mercado de Escravos, para melhor ficar a conhecer estes dois importantes equipamentos museológicos do município, haverá também a oportunidade de assistir a um concerto ou a um documentário. No primeiro, previsto para as 21h30, na Igreja de Santo António, e integrado no Ciclo de Música Antiga «Barroco em Talha Dourada», será apresentado o concerto «Pajarillos Fugitivos», com Jonathan Alvarado (guitarra barroca e canto). Também pelas 21h30, mas no Centro Cultural de Lagos, será exibido, na data em que a UNESCO comemora o Dia Internacional de Lembrança do Tráfico de Escravos e da sua Abolição, o documentário «Gurumbé, canciones de tu memória negra». A descoberta de escravos africanos na lixeira moderna de Lagos é o ponto de partida deste documentário, com o qual se pretende chamar a atenção para a forte presença de populações africanas na Península Ibérica, especialmente durante os sécs. XV e XVIII. Após a exibição do documentário (70 minutos) haverá lugar a uma sucinta apresentação com o realizador do mesmo, Miguel Angel Rosales. No encerramento atuará o quadro flamenco de Yinka Graves.
Ainda dentro destas comemorações, uma peça estará em destaque no Museu Municipal – o quadro «O Sonho», da autoria do artista plástico Timo Dillner e, no final do mês, a 26 de agosto, será inaugurada, no Forte Ponta da Bandeira, a Exposição «Rolling», do projeto Soulmade (Cristina Moreira e Nuno Borges), que ficará patente ao público até ao final do ano. 

Foi num ambiente bastante descontraído, com muitos jovens, menos jovens, empresários, aspirantes a empresários, empreendedores, autarcas e convidados que se procedeu à inauguração, no dia 10 de agosto, da Startup Portimão. Esta incubadora é o mais recente projeto promovido pela autarquia de Portimão que tem como parceiros o Autódromo Internacional do Algarve e a Territórios Criativos – entidade que estará no terreno a prestar apoio à incubadora.
Localizada num edifício do Autódromo Internacional do Algarve, a StartUP de Portimão estende-se por dois pisos, por onde se distribuem seis «boxes» (gabinetes de trabalho), duas salas de reuniões, uma sala de formação, todas devidamente equipadas e com capacidade para 40 postos de trabalho, onde há também lugar para dar asas à criatividade e até uma mesa de ping-pong e um «paddock» especial para abastecer o espírito empreendedor. “É a concretização de um sonho, o resultado de uma conjugação de várias vontades e da determinação do Paulo Pinheiro, da Territórios Criativos, da Câmara e dos seus trabalhadores, que nos últimos dias estiveram aqui muitas horas para que tudo estivesse pronto”, afirmou Isilda Gomes, presidente da Câmara Municipal de Portimão.


Outra novidade avançada pela autarca foi que, em breve, o Vai Vem irá começar a passar pelo Autódromo, estendendo uma das suas linhas, que atualmente chega à localidade da Pereira, disponibilizando-se igualmente em estudar e implementar outras situações na área da mobilidade que possam ser apresentadas pelas empresas que lá se quiseram instalar. A Presidente da Câmara Municipal de Portimão finalizou a sua intervenção, lançando um repto: “Queremos aqui muitos jovens empresários e empreendedores. E se forem mais de 30, arranjaremos ideias para a expansão deste espaço”.
Paulo Pinheiro, administrador da Parkalgar, revelou entretanto que os dois pisos do complexo do circuito foram cedidos a título gratuito, em regime de comodato e lembrou que esta estrutura já é utilizada, ao longo de todo o ano, por empresas mundiais, algumas delas na linha da frente da inovação, para ali testarem os seus produtos, nomeadamente ao nível dos automóveis e das motos. “E essas empresas até poderão ter vantagem em trabalhar com as startups que vierem a instalar-se na nova incubadora, enquanto o contrário também é verdadeiro”, acrescentou. O administrador referiu mesmo o exemplo de uma empresa na área da imagem que se deverá instalar em breve na «Startup Portimão» e que irá trabalhar para os clientes da Parkalgar.


Esta estrutura para acolher jovens empresas será direcionada para as «cidades inteligentes» (smart cities), nas áreas da energia, mobilidade, turismo, governança e qualidade de vida. “Mas nenhum negócio será rejeitado, mesmo que não se integre no grupo preferencial”, adiantou Luís Matos Martins, da Território Criativos, entidade parceira que assume a gestão da incubadora. “Uma incubadora não são só paredes e o objetivo é atrair startups e empreendedores, bem como empresas e empresários. O que queremos fazer é pôr todo o ecossistema a funcionar, juntando pessoas que estão a começar, mas também empresários com mais experiência. Só assim se conseguirá criar redes para criar negócios”, reforçou Luís Matos Martins.


Quanto à localização da incubadora, fora do centro da cidade de Portimão e numa zona mais periférica, aquele responsável sublinhou a importância de tirar partido das muitas sinergias que podem ser desenvolvidas com o Autódromo. Luís Matos Martins anunciou também que esta incubadora está já a tratar da sua certificação, para que possa passar a atribuir vouchers de incubação e outros apoios para as novas empresas. A estrutura vai ainda promover programas de formação para os seus membros e eventos e iniciativas, voltadas para o interior, mas também para o exterior. O objetivo de tudo isso é, insistiu, “criar redes entre os empreendedores, já que é dessas redes que surgem muitas das oportunidades de negócio”. Tendo com parceiros institucionais o IAPMEI e o IEFP, a «Startup Portimão» está agora aberta a candidaturas de empreendedores. 

A Avenida Marginal de Monte Gordo recebe, entre os dias 17 e 20 de agosto, a IV edição do Etniarte – Mercado Étnico & Músicas do Mundo. Com entrada livre, o evento divulga e promove manifestações tradicionais populares como o artesanato, a gastronomia e, em particular, as músicas do mundo.
Ao longo de quatro dias, e sempre às 22h, a vila turística de Monte Gordo irá receber espetáculos musicais onde se ouvirão os sons do mediterrâneo (Milo Ke Mandarini), a música tradicional do Brasil (Roda de Samba), as músicas do mundo Celta (Six Irish Man) ou os acordes tradicionais da música portuguesa (com Sara Gonçalves). No que diz respeito ao artesanato, estarão presentes meia centena de artesãos provenientes de países como Brasil, Portugal, Espanha, Itália, Tunísia, Marrocos e Argélia.
Através desta partilha, o Etniarte assume-se como um evento onde comerciantes de várias culturas e religiões convivem em harmonia e mostram ao público as suas artes e tradições. O Etniarte pode ser visitado entre as 17h e as 24h e é uma organização conjunta da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António e da Ibérica – Eventos e Espetáculos.

No dia 11 de agosto realizou-se o quarto passeio de BTT Noturno de 2017, integrado no programa das Festas de Verão do Ameixial, uma organização do Grupo Desportivo Ameixialense com o apoio da Junta de Freguesia do Ameixial. A concentração teve lugar na sede do Grupo Desportivo Ameixialense e o passeio decorreu a bom ritmo, num percurso com cerca de 23 quilómetros com passagem por Azinhal dos Mouros, Tavilhão, Mosteiro, Revezes e regresso ao Ameixial.
No final, em vez do habitual lanche, foi servido um jantar aos participantes, oferecido pelo Grupo Desportivo Ameixialense e Junta de Freguesia do Ameixial. O próximo passeio está marcado para quarta-feira, dia 16 de agosto, em Boliqueime, com início pelas 21h15, no Largo da Igreja. Estes passeios de BTT noturnos são organizados pelo Club BTT Terra de Loulé, com o apoio das Juntas de Freguesia, Câmara Municipal de Loulé, clubes locais e lojas colaboradoras. As inscrições são gratuitas e feitas no local do passeio, pelas 20h45, sendo o início às 21h15 e com uma duração de duas horas. 

Para destacar algumas Maravilhas entre as muitas existentes no Concelho de Lagoa, no âmbito de um programa de promoção do património natural e histórico em curso durante 2017, a Câmara Municipal lançou o apelo a que cada habitante ou visitante escolha, até 31 de agosto, uma de entre as 10 opções.
Descarregando a aplicação eletrónica disponibilizada no site oficial da Câmara de Lagoa ou em https://play.google.com/store/apps/details?id=appinventor.ai_diogogleal3.Maravilhas_de _Lagoa1&hl=pt_PT, qualquer pessoa pode eleger uma das paisagens excecionais – a Orla Costeira, o Promontório da Senhora da Rocha ou o Parque Municipal do Sítio das Fontes, escolher o conjunto urbano tradicional de Ferragudo ou votar num dos sete edifícios religiosos – a Igreja da Senhora da Encarnação em Porches, o Convento de S. José em Lagoa, a Igreja da Nossa Senhora da Luz em Lagoa, a Igreja de S. Tiago em Estômbar, as Igrejas da Misericórdia de Lagoa e de Estômbar e a Capela de Santo António na Mexilhoeira da Carregação. Cada uma destas Maravilhas tem, neste programa, um padrinho escolhido entre as Associações Culturais locais, a quem cabe contribuir para que a sua afilhada se torne mais conhecida, valorizada e protegida.
A 2 de setembro, pelas 21h, toda a população está convidada para um encontro com as escolhidas, no Centro de Congressos do Arade, numa noite de festa, tendo por base a ideia de aprender a valorizar uma herança coletiva que vem do passado e pertence já às novas gerações. Na FATACIL, que decorre de 18 a 27 de agosto, vai haver igualmente um espaço de destaque para esta iniciativa. Depois da Gala das 10 Maravilhas, preparam-se já outros projetos e ideias que juntam as Associações, as Juntas de Freguesia e a Câmara Municipal, todos com os olhos postos no Património.



O Secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural, Miguel Freitas, esteve em São Brás de Alportel, no dia 11 de agosto, no âmbito de uma visita de trabalho ao Algarve sobre a temática da Floresta contra Incêndios (DFCI). “O sistema precisa evoluir”, referiu o Secretário de Estado, convicto de que, neste momento, é preciso partir do trabalho técnico, ao nível do planeamento que já está feito, por exemplo ao nível dos Planos Municipais de Defesa da Floresta, e ganhar escala de intervenção, coordenar melhor e trabalhar mais em conjunto na área da prevenção.
Considerando que é tempo de agir, Miguel Freitas explicou que tem estado, nas últimas semanas, a fazer um périplo por várias áreas que têm vindo nos últimos anos a ser afetadas pelos incêndios florestais e têm vivido a problemática da recuperação do território e a prevenção de forma intensa. As afirmações foram proferidas no Salão Nobre da Câmara Municipal de São Brás de Alportel, após uma reunião que contou com as presenças do Presidente da Câmara Municipal de São Brás de Alportel, Vítor Guerreiro; do Presidente da Câmara Municipal de Tavira e da Associação de Municípios do Algarve, Jorge Botelho; do Presidente do Instituto de Conservação da Natureza, Rogério Rodrigues; de representantes da Associação de Produtores Florestais da Serra do Caldeirão; de representantes da Zona de Intervenção Florestal (ZIF) de Cachopo e do Comandante Operacional Municipal de Proteção Civil, Vítor Martins; dos representantes das Forças de Segurança; do Vice-Presidente da CCDR Algarve, Nuno Marques; do Diretor Regional de Agricultura, Fernando Severino; da Presidente da Direção do Futebol Clube Cabeça do Velho, Suzel Gonçalves; e demais entidades públicas regionais convidadas que trabalham a área florestal e da Proteção Civil.
O edil são-brasense agradeceu a inclusão do Município nesta primeira visita do Secretário de Estado ao Algarve e destacou a importância da partilha de experiências e modos de ação, apelando a uma urgente reflexão conjunta em prol da defesa da floresta, que deve ser uma prioridade nacional. A reunião contemplou um conjunto de apresentações, nomeadamente do Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios do Município de São Brás de Alportel e do Plano de Ação de Prevenção Anual com as 15 medidas de prevenção em curso, a cargo do Comandante Operacional Municipal, Vítor Martins; a apresentação das atividades desenvolvidas pela Associação de Produtores Florestais da Serra do Caldeirão; e ainda uma apresentação das atividades desenvolvidas pela SuperPinos na ZFs do concelho de Tavira.
Os vários intervenientes aproveitaram a presença do Secretário de Estado das Florestas e Desenvolvimento Rural para mencionar algumas dificuldades na execução dos seus projetos, sobretudo ao nível da adequabilidade das candidaturas a apoios comunitários para trabalhos de prevenção e valorização do território, dos prazos nem sempre adaptados ao tempo da floresta, das questões burocráticas, da sobreposição de planos e da necessidade de medidas concretas para valorizar a floresta e a sua rentabilidade para os proprietários, lembrando ainda a urgente reflexão acerca do ordenamento do território que neste momento é tão restritivo que, ao invés de proteger a floresta do fogo, protege-a da ocupação humana.
A necessidade de criar medidas que incentivem a aposta em produtos que permitem rendimentos a curto e médio prazo, como é o caso do medronho, e que podem complementar a rentabilidade das propriedades florestais da serra algarvia, foi uma das preocupações apresentadas ao Secretário de Estado. “Quando algo falha falhamos todos. A responsabilidade não é de quem apaga o fogo, a responsabilidade é de todos nós”, afirmou o Secretário de Estado, que pretende apresentar a 9 de setembro várias propostas neste domínio da Defesa da Floresta Contra Incêndios.



A APEXA – Associação de Apoio à Pessoa Excecional do Algarve apresentou, no dia 11 de agosto, o Projeto AGITAR 2.0, um programa de formação dirigido a pessoas com necessidades especiais que tem como objetivo a sua integração na vida social e profissional. O projeto resulta da campanha «Promoção do Bem» criada pelo Lidl Portugal, que mobilizou uma vez mais a sociedade civil em torno de um projeto solidário, mostrando que é possível ajudar deixando todos a ganhar: os clientes Lidl, porque beneficiam dos melhores preços; e as instituições de solidariedade social, concretizando os seus projetos através do apoio financeiro, alimentar e não-alimentar disponibilizado ao longo de todo o ano pelo Lidl Portugal.
Com início a partir de 5 de setembro, o Projeto AGITAR 2.0 vai formar 30 pessoas com necessidades especiais de modo a que estas se tornem formadoras de crianças, jovens e adultos em escolas, empresas e outras entidades. Após a conclusão da formação, todos os formandos podem integrar a Bolsa de Formadores do Bem, que continuará a reunir-se semanalmente com o propósito de produzir conteúdos e divulgar junto das empresas a sua oferta formativa. Dos 30 formandos, a APEXA selecionará cinco para frequentarem um curso que atribuirá o Certificado de Competências Pedagógicas (CCP), que será ministrado nas instalações da APEXA.


A cerimónia de apresentação do projeto deu a conhecer também as infraestruturas que são a nova morada do AGITAR, que incluem uma moderna sala de formação - equipada com seis computadores para os formandos, uma zona de estudo, uma sala polivalente,  um gabinete pedagógico para consultas e um estúdio para a produção de conteúdos multimédia. “Com a ajuda do LIDL, podemos continuar a promover a inclusão da pessoa com deficiência no Algarve, através da criação desta bolsa de formadores para que os nossos utentes possam ser, eles próprios, formadores nas várias ações de sensibilização escolar e empresarial. No fundo, estamos a criar novas oportunidades de emprego para jovens e adultos com necessidades especiais, contribuindo para uma sociedade mais inclusiva”, sublinhou Nuno Neto, Presidente da APEXA.
De acordo com Vanessa Romeu, Diretora de Comunicação e Responsabilidade Social do Lidl, os objetivos a que o Lidl se propôs na criação da campanha «Promoção do Bem» foram plenamente cumpridos. “Conseguimos sensibilizar e mobilizar a sociedade civil para a solidariedade através de uma mecânica diferenciada. O contributo financeiro, aliado ao apoio material que estamos a prestar ao longo deste ano às cinco IPSS selecionadas, nomeadamente à APEXA, contribui para o bem-estar e a concretização de projetos que melhoram a vida de milhares de pessoas”.

Foi inaugurada, no dia 4 de agosto, a exposição «Viagem Interior», de Telma Veríssimo, um documentário sobre a desertificação e despovoamento no Algarve que ficará patente, até final do mês, nas sedes da CCDR e IPDJ de Faro. Ao todo, são 67 painéis com fotografias que captam de imediato a atenção do público, apoiadas por textos que alertam para esta realidade que está a tomar conta do interior da região algarvia.

Texto: Daniel Pina| Fotografia: Telma Veríssimo

Os edifícios-mãe da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Algarve e do Instituto Português do Desporto e Juventude do Algarve acolhem, até 29 de agosto, a exposição «Viagem Interior», da fotógrafa Telma Veríssimo. Promovido pela Associação Bons Ofícios com o alto patrocínio da Assembleia da República, o documentário fotográfico incide sobre a desertificação e despovoamento no Algarve, uma realidade a que muitos ainda permanecem alheios.
Nos tempos modernos, é impossível impedir a fuga para o litoral à procura de melhores condições de vida, do mesmo modo que o envelhecimento da população e o desaparecimento de serviços essenciais nas povoações mais pequenas são difíceis de inverter. O resultado deste cenário é o abandono gradual das terras e a negligência das zonas florestais, mas também o desaparecimento de conhecimentos ancestrais e de tradições locais. Este ciclo tem-se intensificado nas últimas décadas e motivou Telma Veríssimo a embarcar no projeto «Viagem Interior», que propõe uma reflexão sobre as dificuldades atuais do Algarve menos conhecido, daquele mais afastado da costa. “A ideia surgiu depois de ler uma notícia que afirmava que, daqui a algumas décadas, vai haver deserto no Algarve, e que me recordou outra notícia, de há 20 anos, que alertava para o mesmo perigo. É um assunto do qual não se fala muito. As pessoas concebem o despovoamento mas, quando se fala de desertificação, ficam logo de pé atrás, parece que isso só se passa no Sahara”, comenta Telma Veríssimo, poucos minutos antes da inauguração da exposição no IPDJ, em Faro.
Da ideia para a prática foi uma questão de “meter o nariz no terreno”, de procurar evidências dessa desertificação e despovoamento, dois fenómenos intimamente ligados e que não acontecem apenas no interior do Algarve, no barrocal ou na serra, como se possa imaginar à partida. “Vila do Bispo, por exemplo, também sofre desses problemas, apesar de ser junto ao mar, mas o interior é, de facto, mais preocupante. Está todo a ficar mais empobrecido em termos de pessoas e de recursos naturais”, avisa a entrevistada, que procurou registar imagens que preservassem a memória de um mundo que está a desaparecer. “Na exposição vemos fotografias de muitas pessoas idosas que, quando morrerem, já ninguém viverá como elas viveram até aqui. São tradições e hábitos que se estão a extinguir”.